VIDEOCLUBE

serie a caca na vizinha franca

Do ponto de vista cinegético e científico, hoje propomos-lhe que redescubra a codorniz, não nos nossos cotos, mas sim nos da vizinha França. Aqui, através de uma abordagem multidisciplinar, tentam dar resposta às dúvidas e resolver os problemas que esta es

Duas modalidades de caça menor muito diferentes, e que vão ser o foco deste novo episódio da série À caça na vizinha França. No entanto, tanto numa como outra, o papel dos cães é fundamental. Na primeira, a caça de aquáticas no posto, para o cobro dos pato

Os caçadores, mas sobretudo os seus cães, são os protagonistas desta aventura em terras francesas, onde veremos o trabalho árduo dos galgos atrás das lebres, assim como o dos cães de parar em jornadas às galinholas e às perdizes vermelhas. Em suma, a caça

Voltamos ao mesmo lugar onde deixámos há alguns dias, para retomar a emocionante caça ao javali, em batida, na região francesa da Córsega. Além dos lances aos javalis, protagonizados pelos aficionados corsos em diferentes caçadas, vamos conhecer a jóia da

Vamos até esta mítica ilha para participar numa nova aventura da série “À caça na vizinha França”. Nestes ambientes agrestes e mediterrâneos, viveremos todas as emoções das batidas e aproximações aos javalis, que são cada vez mais, uma vez que estão quase

Muitos são os que pensam que o uso dos cães de rasto é algo quase exclusivo de aproximações e esperas, sem sequer terem em conta que em montarias e batidas se ferem muitas reses e que sem a ajuda destes cães, uma vez terminada a jornada, muitas das peças p

Independentemente da modalidade de caça maior que praticamos, ter um cão de rasto de sangue, para pistear as peças feridas, é algo que cada vez é mais popular. França é um dos países onde esta prática está muito desenvolvida, tal como iremos comprovar nest

Viveremos umas aproximações aos corços intensas e emocionantes, com o famoso caçador galo Romain Lavizzari, num dos melhores departamentos de França, Lot e Gers, ambos pertencentes à nova região de Occitania. Mas o melhor é que há um doble nesta partida ve

Até hoje, França é o país europeu com maior número de caçadores, muitos dos quais vão também ao estrangeiro, para terem outras experiências venatórias. Neste episódio, acompanharemos um grupo destes caçadores até à Bielorrússia, onde participarão em magníf

Preciosos bosques e montes com carvalhos negros, será este o cenário onde decorre esta nova aventura cinegética, com um toque internacional, que nos leva até à vizinha França. O objetivo de uns caçadores incansáveis e de uns bravos cães de parar, será as g

Em Espanha ou em França, em Itália ou na Bulgária, a paixão que a caça à galinhola desperta é algo comum, na maioria do continente europeu, sempre na companhia de bons cães de parar, tão importantes nesta modalidade, assim como os próprios terrenos. Por is

As cotas mais altas não são só no habitat de espécies de caça maior míticas, como a camurça, os íbex ou os carneiros. Nelas, também habita caça menor, como poderemos ver neste episódio, onde os nossos vizinhos franceses, de mãos dadas entre a comservação e

A caça menor com cães de parar é uma das expressões máximas da atividade cinegética, e nem falemos de quando esta se passa na montanha. Mas é precisamente esta modalidade que iremos ver neste novo programa, em que iremos atrás das perdizes cinzentas e gal

O crescimento das populações de caça maior e a sua proximidade a zonas urbanas e periurbanas, assim como a sua irrigação nas estradas e os danos que provocam nas culturas, confirmam um fenómeno que não é exclusivo da Península Ibérica. Desta forma, na vizi

Neste novo episódio da nossa série “À caça na vizinha França”, deixaremos de lado os javalis e os pombos, os corços e as camurças, e os patos e os veados que foram os protagonistas de programas anteriores. É o momento de nos centrarmos na caça dos estornin

Tal como acontece no nosso país, em França também existem sérios problemas com os estorninhos, e não só nas cidades, mas também nos campos. Este fenómeno já foi motivo de estudo e controlo mediante a caça, ao terem-se convertido em autênticas pragas. Neste

Abrigos, postos, chamarizes, redes,… São muitas as artes de caça tradicionais que os aficionados gauleses usam com os pombos tocazes e outras espécies migratórias. Como bem sabem aqueles mais experientes, alguns destes métodos também são comuns no outro la

Tal como acontece na Península Ibérica, os nossos vizinhos franceses têm também uma grande devoção pelo pombo torcaz, e não é recente. Esta paixão deu lugar a formas de caça tradicionais que foram transmitidas de geração para geração e hoje em dia ainda sã